Aprenda a arrumar uma tradicional mesa japonesa

Gastronomia

Quem gosta da cultura japonesa sabe como cada ritual é importante e como cada coisa tem um significado. Por isso vamos ensinar a você como arrumar uma tradicional mesa japonesa para receber apreciadores da culinária deste país.

A arrumação tradicional da mesa japonesa mudou bastante ao longo dos séculos. Até o século XIX as mesas pequenas e individuais ou bandejas eram arrumadas diretamente no chão. Depois mesas maiores e baixas, para a família inteira, se popularizaram. Mas, a partir do século XX, as mesas ocidentais tomaram conta. Mas, ainda assim é fácil fazer uma arrumação de mesa tradicional, baseada no que, no Japão, é chamado de ichijū-sansai.

Na arrumação tradicional da mesa é usam-se tipicamente cinco bacias e pratos, que são colocados antes do jantar. Numa ponta são colocadas (à esquerda) a bacia de arroz e à direita a de sopa.  Atrás delas são colocados outros três pratos, estes planos, que seguram os três acompanhamentos. Estes três pratos estão distribuídos da seguinte forma: um à extrema esquerda, um a extrema e um no centro. O prato da extrema esquerda pode ser o de um parto fermentado, o da extrema direita pode ser um prato assado e o do centro tem os vegetais cozidos. Eventualmente vegetais cortados podem ser servidos e comidos no final da refeição, mas não fazem parte destes três pratos.

Viu? Não é nada caro ou difícil arrumar sua mesa, ocidental ou não, como uma tradicional mesa japonesa e receber seus amigos e parentes de forma surpreendente. Mas, agora que você já sabe como arrumar a mesa, vamos falar um pouco das regras de etiqueta ao se sentar à mesa para se comer. Basta seguir estas poucas recomendações e seu almoço ou jantar sairá perfeito.

Etiqueta à mesa

É um costume dizer itadakimasu: “Eu humildemente recebo”, antes de começar a comer a refeição. No fim fala-se: gochisōsama deshita: “Foi um banquete”, ao anfitrião ou funcionários do restaurante. Ante de comer os restaurantes oferecem toalhas quente e um lenço úmido para limpar somente as mãos, não passe no rosto, antes das refeições.

O arroz ou a sopa é comido pegando-se a tigela com a mão esquerda e usando os hashis com a direita. Elas podem ser levadas próximas a boca, mas sem tocá-la, exceto na hora de beber a sopa. O shoyu normalmente já está nos pratos servidos, mas sempre é colocado um pratinho com ele à parte. Mas o shoyu nunca deve ser colocado em demasia, pois isto é visto como desperdício, algo deselegante.  Além disso, ele nunca deve ser colocado no arroz ou sopa. Se ouver um prato comum para a retirada de alimentos, mas sem um hashi específico para isso, é de bom tom retirar a comida deste prato com seu próprio hashi, mas com ele invertido. É considerado o jeito higiênico. Mas quando se quer dividir seu prato com alguém se recomenda passar diretamente de um prato para o outro e não de um hashi para outro.

É costume também comer todo o arroz que é servido além de não fazer pedidos especiais quando se é o convidado, isso é considerado uma forma de ingratidão para com o anfitrião. Em relação às bebidas, tanto em situações informais ou não, antes de se começar a beber se faz um brinde coletivo assim que todos estiverem prontos. Também não se costuma servir bebida a você mesmo, sempre se espera que alguém o sirva e você também sirva alguém, é uma forma de se mostrar humilde e respeitoso esperando que todos estejam servidos.

Por último alguns pratos estão muito ligados a um tipo de comemoração ou evento. Os principais incluem: Mochi – Festival de Mochitsuki Okotania; Osechi – Ano Novo; Hamo (um tipo de peixe) e somen – Festival de Gion; Sekihan, arroz cozido com azuki – celebrações em geral; Soba – Véspera do Ano Novo.

 

2 comments

Deixe uma resposta